Rogue One | Roteirista comenta castelo de Darth Vader

Darth Vader continua sendo um dos pontos mais comentados de Rogue One: Uma História Star Wars, mesmo com tempo de tela de menos de 10 minutos. Entretanto, a presença do vilão no filme merece toda a repercussão, já que as cenas foram pontuais e extremamente acertadas.

Uma das polêmicas que o personagem trouxe no filme foi o seu lar no Planeta Mustafar (rima proposital). O planeta é o único que não tem um letreiro apresentando o seu nome, mas o local já foi confirmado no livro de arte de Rogue One.

A escolha do local fez com que muitos fãs questionassem a escolha devido aos momentos trágicos que Anakin viveu no local. Foi no planeta Mustafar onde Anakin Skywalker teve o seu confronto final com Obi-Wan e acabou sendo mutilado e queimado.

Agora, Gary Whitta, roteirista do filme, comentou a escolha. Ele foi cuidadoso o suficiente para deixar claro que era sua opinião pessoal e não a razão canônica, mas não deixa de fazer sentido.

“Na minha opinião, ele escolheu viver lá para se punir,” disse Whitta. “Como disse Luke, ainda há bondade nele.”

É uma ideia interessante, que Vader viva lá por escolha própria e não por ordens imperiais. O lugar poderia servir como fonte para alimentar o seu ódio.

A ideia de um vilão carregada por um conflito interno entre o bem e o mal já é algo característico na saga. Atualmente, o vilão da nova trilogia, Kylo Ren, apresenta conflito semelhante. No Despertar da Força, Kylo Ren mata o seu pai, Han Solo, na tentativa de afastar o lado da luz totalmente de si. Em seu confronto final, quando precisa de mais força, ele ainda soca o seu ferimento, como se tirasse força da dor, que é parte do caminho para o Lado Negro da Força.

Vale lembrar que a ideia do Castelo de Vader não é bem uma novidade, já que o próprio George Lucas tinha idealizado algo semelhante para O Império Contra-Ataca, mas acabou ficando de fora do filme.

Rogue One está em cartaz nos cinemas. Confira o que achamos:

Comments

comments