Game of Thrones S07e03 | Títulos, alianças, reencontros e derrotas

Aviso: Contém spoilers dos recentes episódios das sétima temporada de Game of Thrones

“Eu acreditei em mim” (Daenerys Targaryen)

“Ele não conseguiu por ser sua herança, ele consegui por mérito, pq os homens escolheram ele, acreditam nele” (Sor Davos Seaworth)

Depois de 6 temporadas e 2 episódios, um dos encontros mais aguardados aconteceu. Com uma comitiva simples, Jon Snow chega a Pedra do Dragão para ser recepcionado por Tyrion Lannister, Missandei e alguns Dothrakis.

O encontro entre Snow e o pequeno Lannister foi algo nostálgico e singelo. Após um breve período juntos (na série), a forma bem-humorada que os dois se cumprimentaram mostra o lanço criado pelos dois naquele momento. Naquela oportunidade, Tyrion, apesar de não se importar com a reação do jovem bastardo, sempre disse a verdade sobre o que aguardaria Jon ao se juntar à patrulha da Noite, mesmo que todos dissessem que era uma grande honra. Um dos maiores motivos para Jon respeitar a integridade do anão.

Contudo, foi no encontro em Snow e Daenerys que as coisas realmente ficaram interessantes. Após uma longa e vaidosa apresentação da Mãe dos dragões em contraponto a uma singela e humilde apresentação de Jon, o que já mostra uma grande diferença entre os dois, o Rei do Norte e a pretendente Rainha dos Sete Reinos conversam sobre a submissão do norte, direito de nascença e merecimento de poder.

Apesar de Daenerys ter parecido arrogante, a rainha apresentou bons pontos, alguns deles defendidos pelo próprio rei do norte. Assim como Jon não punira os filhos dos Karstark e dos Umber, Daenerys afirma que um filho não deve pagar pelos pecados do pai, o que parece ter tocado Jon, que por sua vez fez questão de expor que direito de nascença não deve ser o suficiente para fazer o povo se ajoelhar por uma Rainha que não conhecem. Esta arrogância pode ser a perdição de Daenerys enquanto soberana.

Enquanto Jon quer unir o povo para impedir uma ameaça maior, o Rei da Noite, Daenerys, sentada em seu trono, quer que o povo se una para se ajoelhar perante ela.

Felizmente, Tyrion consegue intermediar um diálogo que pode dar início a uma relação amistosa entre os dois, principalmente se considerarmos as derrotas recentes da Mãe dos Dragões. Jon terá o seu Vidro de Dragão, mas é provável que tenha que ajudar Daenerys em suas futuras batalhas.

Já em Porto Real, Euron Greyjoy é recebido aplaudido pelo povo por ter capturado inimigos da Rainha Cersei. O núcleo de Porto Real permanece um pouco confuso, já que para uma Rainha que acabou de explodir a igreja da cidade, Cersei segue sendo muito querida. De todo modo, Euron traz as prisioneiras, o que garante uma aliança com a atual Rainha dos Sete Reinos, mas ainda não garantiu o matrimônio. Ademais, a rusga entre Jaime e Euron segue crescendo cada vez mais.

Diferente do que fora exposto por Jaime no primeiro episódio desta temporada, Cersei segue pouco a pouco deixando de parecer o lado perdedor. Apesar de não ter três dragões, a Rainha segue ganhando conflitos contra as forças de Daenerys, além de ter tomado Jardim de Cima e toda a sua riqueza, o que também trouxe a morte de Ollena Tyrell, apesar da perda, proposital, de Rochedo Casterly.

Além das vitórias em campo de batalha, Cersei também conseguiu sua tão desejada vingança pela morte de sua filha, bem como a de seu filho, ainda que não tenha sido pelas suas próprias mãos.

Em Winterfell, Sansa Stark se mostra uma boa líder, preocupada com as minúcias na preparação para o inverno e cuidando de diversas frente. Mindinho segue a rodeando, tentando, pouco a pouco, adquirir sua confiança mostrando que ela pode ser muito mais e que o poder, que ela vem tomando gosto, pode ser só dela.

Enquanto cuida de governar, Sansa tem um reencontro inesperado. Seu irmão Brandon Stark, agora o Corvo de Três Olhos retornou para Winterfell e deixando claro que tem um assunto a tratar com Jon Snow (Todos nós sabemos o que é, né?). Bran não se preocupa em tentar explicar a Sansa pelo que passou e o que significa ser o corvo de três olhos, já que ele sabe que seria difícil para qualquer pessoa entender tudo o que ele viveu. Sansa pareceu assustada com o conhecimento de Bran e sua personalidade serena.

Depois de tanta especulação sobre vidro de dragão ser a cura para a escamagris de Jorah Mormont, parece que o procedimento era simplesmente tirar a “casca” e passar um “hipogloss” feito em Vilavelha. Para um problema que vem sendo mostrado há tantas temporadas, o tratamento pareceu um tanto simplório e anticlimático demais. De todo modo, agora Jorah poderá retornar para Daenerys.

Sam Tarly, em mais uma referência a Harry Potter, consegue se safar de uma punição por ter sido bem sucedido em sua ousadia (100 pontos para a Grinfinória!). Contudo, o arquimeistre o pede que faça cópia de documentos antigos e mofados, o que deixa Tarly um tanto frustrado.

Especulação sobre episódios futuros (É provável que os documentos que Tarly deverá fazer cópia sejam documentos relacionados à Longa Noite e os Caminhantes Brancos. Por ser um assunto pouco requisitado pelos Meistres, seria de se esperar que os papéis estivessem mofando nas estantes da cidadela)

Com diálogos muito bem elaborados, encontros e reencontros mais que aguardados, este foi o melhor episódio da temporada até aqui. Ver personagens fora sob outros olhares e poder ter perspectiva sobre suas verdadeiras personalidades, traz uma nova faceta para os conflitos que virão. Daenerys não está tendo uma vitória fácil como esperava, o que deve fazer com que ela deixe de lado a sua arrogância e passe a buscar aliados em vez de súditos.

É muito provável que os próximos episódios tenham um ritmo ainda mais acelerado, uma vez que só restam somente quatro episódios para o final da temporada. Então é melhor apertar os cintos.

Game of Thrones está sendo exibida aos domingos no canal pago HBO.

 

Comments

comments