Star Wars: Os Últimos Jedi | Rian Johnson comenta o arco de Luke Skywalker e a reação de Mark Hamill

Aviso: Este artigo contém spoilers de Star Wars: Os Últimos Jedi

Star Wars: Os Últimos Jedi foi um mar de surpresas. O filme veio para quebrar muitas expectativas e trazendo versões dos personagens bem diferentes do que era esperado.

Como não poderia deixar de ser, o Luke Skywalker apresentado no longa foi um dos maiores objetos de polêmica. Diferente do habilidoso Jedi visto em O Retorno de Jedi, Luke aparece no novo filme como uma pessoa quebrada, amarga e arrependida, que precisa lidar com o peso de suas falhas. Apesar da surpresa, este foi um caminho fascinante de ser ver. Em entrevista para o Business insider, Rian Johnson, diretor do longa, comentou a transformação do personagem.

“Algo que tive que descobrir logo no início do processo era o porquê de Luke estar naquela ilha. Eu tive de descobrir algo que fizesse sentido, e você não sabe muito do Luke com o que foi mostrado em O Despertar da Força. Mas você sabe que seus amigos estão lutando e ele se isolou. Eu sempre vi o Luke como um herói. Eu sei que ele deve achar que está fazendo a coisa certa ao se remover do contexto, e isso significa que ele acha que a melhor coisa para a galáxia é que ele não seja uma parte dela, que os Jedi não sejam mais parte. Então isso levou ao caminho que vimos.”

Johnson também comenta sobre a partida do personagem. Ao humilhar Kylo Ren e dar uma chance da Resistência se salvar, Luke exerce um papel importante para poder salvar a galáxia. O esforço, no entanto, levou o Jedi a se reunir com a Força.

“Enquanto eu trabalhava no arco dele [Luke], eu estava chegando em um ponto que deveria haver um ato heróico que reverberaria em toda a galáxia – basicamente assumindo o manto de Luke Skywalker, Mestre Jedi, uma Lenda – e lentamente ficou claro para mim que deveria ser este grande ato. Seria uma ação que criaria uma lenda. E se existe um lugar nesta trilogia para encaixar um momento emocional de adeus, este seria o ideal.”

Contudo, o diretor afirma que muitas coisas podem mudar para o próximo episódio, uma vez que ele não é o responsável.

“Eu não estou escrevendo o próximo, e não sei o que J.J. [Abrams] e Chris Terrio farão com Luke. Mas, parece que será algo como Obi-Wan foi após Uma Nova Esperança. Luke exercer esta presença parece algo muito mais empolgante do que empunhando um sabre de luz com os heróis. Isso abre muito mais possibilidades.”

Mark Hamill, o Luke Skywalker comentou algumas vezes que não estava feliz com a direção dada pelo diretor para o personagem. Johnson também comentou, afirmar que Hamill passou anos imaginando algo diferente, e isso pode ser parte do motivo.

“Não era necessariamente o que ele queria. E é compreensível. Mark teve todos esses anos para sonhar com um retorno triunfante do personagem. Luke é o herói retornando para a história, mas este não poderia ser o caso neste filme. Este era o personagem que o filme precisava.

Se ele fosse um guerreiro otimista, Rey não teria nada para confrontar. Então não era bem o que Mark tinha em mente inicialmente, e foi por isso que ele falou abertamente sobre ter sido pego de surpresa pelo roteiro e pela forma como seu personagem termina. Mas eu sabia que era assim que deveria ser. Nós conversamos muito, voltamos ao trabalho, discutimos, brigamos e este processo acabou sendo muito bom para o personagem e para a nossa relação de trabalho. Era muito boa.”

Star Wars: Os Últimos Jedi está em cartaz nos cinemas. Confira nossa crítica e nosso manifesto sobre o filme.

Comments

comments