Review | Rogue Trooper Redux

Rogue Trooper foi lançado originalmente em 2006 nas plataformas Playstation 2, Xbox e Nintendo Wii. Graças ao seu enredo, temática e jogabilidade simples, o jogo conquistou o coração de muita gente. Agora, 11 anos após o jogo original, Rogue Trooper Redux retorna aos consoles da nova geração com novos visuais e controles. Um elemento curioso da franquia de jogos é que ela é baseada no quadrinho 2000 AD, a mesma que introduziu o Judge Dredd ao mundo.

O protagonista de Rogue Trooper Redux se chama Rogue, um soldado modificado feito especialmente para guerras. Apesar das modificações que amplificam sua inteligência e habilidade com armas de fogo, Rogue e seus irmãos encontram uma resistência implacável em Nu-Earth, o “palco” principal do jogo. Uma guerra entre os Nortenhos e os Sulistas assola o planeta, deixando milhões de mortos. Durante a guerra, diversas armas químicas e biológicas foram utilizadas, gerando um verdadeiro massacre e envenenando o planeta. Com o planeta envenenado, os Nortenhos precisam usar um equipamento de proteção chamado de “Bio-Suit”. Já os Sulistas utilizaram a engenharia genética para desenvolver uma raça de guerreiros imune à atmosfera contaminada chamada de Infantaria Genética ou G.I’s. Esses super soldados são imunes a todas as toxinas, doenças e quase todos os ácidos, exceto por um. O Supremo Comandante do Sul envia um assalto aéreo com a arma secreta dos Sulistas, porém, um individuo traí os G.I’s, revelando a fraqueza deles aos Nortenhos e as tropas são massacradas. Esse episódio é chamado de Quartz Zone Massacre. Essa é a motivação principal do jogo e o principal combustível de Rogue: Caçar o General Traidor e vingar os seus irmãos.

Os G.I’s (irmãos de Rogue) são massacrados e é aí que entra um dos principais elementos diferenciais de Rogue Trooper: Ao morrer, os G.I’s (Gunnar, Bagman e Helm) deixam biochips que Rogue usa para adquirir novos armamentos/upgrades. Apesar de não estarem mais presentes fisicamente, os irmãos caídos de Rogue dão dicas ao longo do jogo. Basicamente, os irmãos de Rogue se transformam em I. As. dentro de rifles, armas montadas, capacetes, etc. Os G.I’s podem ser ressuscitados caso os seus respectivos biochips sejam implantados em um novo corpo.


O arsenal de Rogue vai se tornando mais poderoso a cada fase. No começo, o famoso soldado azul dispõe apenas de uma pistola e um rifle que pode ser usado em curto/médio alcance ou longo alcance. Ao derrotar inimigos ou explorar o mapa, encontraremos o “Salvage”, um recurso usado para fabricar upgrades, munições e adquirir novas habilidades. O sistema de craft do jogo é simples, porém, extremamente eficaz e reproduz bem a sensação de progresso.

Uma adição muito bem vinda no jogo e que com certeza o manterá ativo por mais tempo é o modo online. Com uma estrutura similar ao “Horde Mode” presente em Gears of War, a nova modalidade deve render boas horas de diversão entre amigos.

Com a introdução do jogo feita, listaremos os principais pontos positivos e negativos do jogo, juntamente com a nossa conclusão sobre o mesmo, confira:


Pontos Positivos:

1) Enredo cinematográfico: A história de Rogue Trooper é bem contada e repleta de ação, lembrando as grandes produções hollywoodianas. Mesmo contando com um dos maiores clichês como motivação, a vingança, o enredo do game entretém e não deixa a desejar em nenhum momento.

2) Jogabilidade intuitiva: Um dos pontos fortes do jogo é a jogabilidade simples e intuitiva que agradará iniciantes e veteranos. Com os controles repensados para os consoles atuais, Rogue Trooper Redux é divertido de se jogar. As fases introdutórias cumprem bem o papel de tutorial e ensinam aos jogadores todas as funcionalidades e recursos presentes no jogo.

3) Senso de progressão bem construído: A progressão é um pilar importante em Rogue Trooper. O protagonista começa apenas com uma pistola e rifle, adquirindo armas mais letais ao passar de estágios. Para incrementar a experiência, existe o recurso “Salvage”, que permite a compra de munições e medkits ao decorrer das fases, além de ser utilizado para adquirir novas habilidades e upgrades.

4) Experiência Nostálgica: Eu tive a oportunidade de jogar o Rogue Trooper original no seu ano de lançamento e imediatamente construí um vínculo com o jogo. Desde 2006 sonhava com um remake ou uma remasterização do jogo, sonho esse que foi realizado 11 anos depois. Ao jogar a nova versão do jogo, me senti em um túnel do tempo e visitei a minha infância mais uma vez.


Pontos Negativos:

1) Gráficos poderiam receber um tratamento melhor: Os gráficos de Rogue Trooper Redux são bem parecidos com o jogo original de 11 anos atrás, algo que com certeza frustará os jogadores. O único elemento que recebeu uma grande melhoria foram os personagens do jogo. Mesmo se tratando de uma remasterização e não um remake, o jogo merecia um tratamento melhor. Pelo preço que está sendo cobrado, esperava mais.

2) Preço: Conectado ao ponto negativo de número um, o valor cobrado pelo jogo no Brasil (R$89,50 na PSN / R$49,00 na Microsoft Store) não condiz com a qualidade do mesmo. Pra quem mora nos Estados Unidos, o jogo com certeza vale o investimento, já que está custando apenas U$25,00.

3) Falta de localização no Brasil: O maior ponto negativo da remasterização. Joguei a versão de Playstation 4 e o jogo em sua totalidade está em inglês, algo que deve afastar muitos jogadores do título.


Conclusão:

Rogue Trooper Redux é uma aquisição obrigatória para os fãs do jogo original ou dos quadrinhos. Mesmo tendo sido originalmente lançado 11 anos atrás, o jogo ainda traz mecânicas inovadoras que foram pouco utilizadas na última década. Infelizmente, o jogo não consegue competir com os jogos atuais no quesito gráfico, mas ainda consegue render dezenas de horas de diversão e momentos frenéticos.

Rogue Trooper Redux será lançado no dia 17 de Outubro para Playstation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

Comments

comments