Review | Bush Hockey League

O futebol é indiscutivelmente o esporte mais amado do Brasil. Com toda a tradição em torno do famoso “soccer”, outros esportes não tiveram espaço para florescer no país.

Esse cenário mudou graças ao processo de globalização, possibilitando a interação com novas culturas e consequentemente, novos esportes.

Os brasileiros passaram a conhecer a NBA e a NFL, porém, ainda existe uma grande distância da NHL, a liga nacional de Hockey.

Por conta dessa falta de aproximação com o esporte, analisar o jogo Bush Hockey League foi um desafio bastante divertido. Por não estar 100% familiarizado com o esporte, tentei ser o mais justo possível, me atendo as partes técnicas do jogo.


Bush Hockey League e seu principal atrativo

Bush Hockey League foi desenvolvido pelo estúdio V7 Entertainment. O principal diferencial do jogo é o resgate do Hockey antigo, conhecido por ser um esporte brutal e violento.

O game entrega uma experiência “retrô” completa. Os jogadores não possuem capacete (antigamente não existia capacete no Hockey), existem lutas de goleiros, golpes sujos e um linguajar bem pesado.

Existem dois modos de jogo: O modo de Exibição e o modo História. É recomendável começar pelo modo história, afinal, funciona como uma espécie de tutorial para os iniciantes. Outro ponto positivo da história é sua qualidade, que lembra filmes do esporte.

O enredo gira em torno de um time decadente, o Schuylkill Hinto Brews, no meio da temporada, cabendo ao jogador completar tarefas loucas para aumentar a moral e popularidade do time. Em meio as partidas, é possível vivenciar diálogos e cenas extremamente divertidas e insanas, rendendo altas gargalhadas. Os criadores do jogo se basearam no filme Slapshot, lançado em 1977.

O modo de Exibição permite que você jogue contra seus amigos ou se unam contra a inteligência artificial, lembrando os antigos jogos arcade.

Os problemas de Bush Hockey League

Apesar da experiência divertida, a limitação técnica evidente do jogo incomoda em diversos momentos. A movimentação não é suave e muito menos responsiva. Em diversos momentos é quase impossível identificar quem está com a posse do disco.

Outro detalhe que deve desagradar alguns jogadores, porém que é compreensível, são os gráficos em cel shading, lembrando os antigos jogos do Spider Man. Vale ressaltar que os gráficos distantes do realismo são propositais, enfatizando a experiência retro/arcade.

Conclusão

Apesar dos pequenos tropeços, o jogo cumpre o seu propósito: entregar uma experiência sólida e divertida no universo do Hockey. Para os jogadores que procuram um jogo arcade que foge dos padrões da NHL, Bush Hockey League certamente é uma opção a ser considerada e que não deve decepcionar.

Comments

comments