Mulher Maravilha perde cargo de embaixadora honorária na ONU

A Mulher Maravilha é uma das personagens femininas mais fortes e mais antigas da cultura pop. A heroína completou em 2016 seus 75 anos.

Por esta mesma razão, em 21 de Outubro de 2016, a personagem foi apontada como embaixadora honorária da ONU, na esperança de que a icônica personagem trouxesse uma campanha de empoderamento feminino para garotas e mulheres em 2017.

No entanto, algumas pessoas não ficaram contentes com a decisão, afirmando que escolher uma mulher com curvas não era uma escolha acertada para novas gerações.

Por conta disso, a personagem deixará sua posição nesta sexta-feira, apenas dois meses após a sua indicação.

Quase 45.000 pessoas assinaram uma petição e apresentaram à secretaria geral da ONU pedindo que eles reconsiderassem a escolha.

Segundo a petição, “Apesar dos criadores terem a intenção de fazer da Mulher Maravilha uma mulher forte, independente e uma guerreira com ideais feministas, a realidade é que a personagem é apenas uma iteração das mulheres de seis fartos em proporções descabidas, pele branca e roupas apertadas denotando suas curvas.”

Courtney Simmons, uma representante da DC Entertainment, disse que “A Mulher Maravilha representa paz, justiça e igualdade, e por 75 anos ela tem sido uma força motivadora para muitos e continuará sendo mesmo após o encerramento de sua posição de embaixadora na ONU.”

Simmons também afirmou que a edição especial de empoderamento das mulheres da HQ da Mulher Maravilha ainda será lançada no ano que vem, quer ela seja embaixadora ou não.

Independente de cargos, cabe a cada um escolher pessoas ou personagens para se admirar e tomar como exemplo, e, apesar dos pesares, a Mulher Maravilha é sim um marco na história dos personagens femininos e no empoderamento das mulheres.

Mulher Maravilha também chegará aos cinemas em 2017.

Comments

comments

  • João Paulo Ortiz Rocha

    falta do que fazer, na boa mesmo